quinta-feira, 13 de maio de 2010

Mais "Poemas que valem a pena serem lidos"!


Mais uma postagem da série supracitada, e hoje, depois da noite que dedicamos ao nosso amigo Victor colonna, venho deixar não somente um poema que vale muito a pena ser lido, mas dois, retirados do livro dele, o "Cabeça, tronco e versos (2009, Editora da Palavra)" que falam por si próprios. Victor tem um blogue que vale a pena ser lido também, é o Deitando o Verbo. Curtam os poemas e passem lá pra curtir mais depois!

SUJEITO OCULTO
O problema são as conjunções desconjuntadas

As interjeições rejeitadas

Os adjetivos desajeitados

Os substantivos sem substância

As relações de deselegância entre as palavras.


É preciso superar o superlativo:

O absoluto sintético

E o analítico.

Achar o verso

Entre o verbo epilético

E o pronome sifilítico.


Falta definir o artigo inoxidável

O numeral incontável, impagável


Resta procurar o objeto direto

Situar o particípio passado

E o pretérito mais-que-perfeito


Desvendar a rima

Desnudar a palavra

Encontrar o predicado

E revelar o sujeito.



POST SCRIPTUM
Deixo para o mundo minha gastrite
Minha enxaqueca e um pouco de azia
Minhas madrugadas sem limite
E a angústia sob o sol do meio-dia.


Deixo também, como herança, a preguiça
A luxúria, o orgulho e a ironia
Uma dose de veneno e cobiça
E a descrença acrescentada à apatia.


Podem levar meus amores relapsos
minha loucura crônica, os colapsos
E um eventual resto de alegria


Mas fica comigo aqui, resguardado
Aquele que será o meu legado
Minha alma seca e minha poesia.

5 comentários:

Ada Fraga disse...

Muito inteligente a poesia do Victor Colona, esse escreve de forma diferente,eis aí um sujeito cheio de
que saiu do lugar comum! Escreve muito bem, Victor! Parabéns! Sucesso!

Beijos,

Ada

Cynthia Lopes disse...

Deixemos então para o mundo esta ironia cortante das almas delicadas dos poetas! Sem dúvida estes poemas valem a pena, a dor e a angústia de serem feitos e lidos.
bjs

Leo Lobos disse...

Mis saludos desde Santiago de CHIle, un agrado leer este espacio de comunicación y cultura,

saludos

Leo Lobos

tetsuo takita (bobifilho@yahoo.com.br) disse...

que surpresa, gravei umas cenas pro filme papai doidao, eu, o igor cotrim, a mamma giullia, lá na chácara do ricardo petaglia, foi bem legal, tava o bayard tonelli!!! adorei to loko p ver o filme estrear

Poemas Tecidos disse...

Valeu a pena mesmo a leitura.

É essa nossa língua portuguesa um ser concluso em seus artigos, adjetivos, verbos e outras partes? O poeta vem quebrar a sua rigidez.

Abraços.