terça-feira, 4 de agosto de 2009

Poema Coletivo Número Um

Apesar do frio, da ausência de nosso aniversariante Zé Calazans (que ficou de molho por conta duma gripe (não-suína, cabe ressaltar), nosso encontro foi um sucesso. A partir desta edição, iniciamos nosso lance de criar um poema coletivo por quarta, e aqui vai o primeiro!

POLEANAS NÚMERO UM
O Beijo segue o frio
requentado pelo seu olhar
é o gelo dissolvido no rio
sem vontade de amar...

o frio beija minha boca
cabelo, beijo, vento voa
gruda no cabelo dela
a poesia rala-e-rola na janela

o vento sopra não sei de onde
espero que leve a chuva pra bem longe
na longitude mais misteriosa
deixando poesia, levando a prosa

e eu, quero ser verbo
encontrar meu vice
todo vento frio
no coração é maluquice!

P.S.: Agradecemos a todos os poetas presentes, e ressaltamos que serão sempre bem-vindos! Voltem SEMPRE!

2 comentários:

José Henrique disse...

O entrosamento entre os poetas é tão grande, que o poema parece ter sido feito por uma única pessoa. Abraços!

Louis ALLLien disse...

parece mesmo!
espero que todos leiam o blogue!